Baependi possui muitos atrativos. O visitante que passa pela cidade tem muito o que fazer, por isso a cidade recebe muito bem o turista em qualquer época do ano. Quem vem até a cidade, pode apreciar suas belezas naturais, visitar suas belas cachoeiras, fazer trilhas nas montanhas e praticar esportes de aventura. Além de conhecer o Santuário da Conceição, onde fica localizado o túmulo de Nhá Chica “Serva de Deus”. Conheça a cidade e se encante com história, cultura, religião e aproveite também sua capacidade eco turística!

PARA MAIS INFORMAÇÕES ACESSE: http://www.baependi.mg.gov.br/

 

Os primeiros relatos

As primeiras referências sobre o território que atualmente compreende o Município de Baependi datam dos primeiros anos do século XVII. Segundo certo autor, a bandeira de André Leão, partiu de São Paulo em 1601, seguiu o curso do Paraíba, do lugar onde atualmente é São José dos Campos até Cachoeira e, galgando a Serra da Mantiqueira, rumou para a localidade onde hoje se instalam os municípios de Pouso Alto e Baependi. A partir desta data, Baependi começa a aparecer nos relatos dos sertanistas.

Em I 646, Jacques Felix, segundo Diogo de Vasconcelos, recebeu a incumbência de procurar minas. Andou pelos sertões de Guaratinguetá e chegou até o planalto do Rio Verde. Dizem que Baependi já possuía, em I 681, alguma criação. Em ano anterior a 1694, andou também pela região Bartolomeu da Cunha, á procura de riquezas ali existentes.

Povoamento

Quanto ao povoamento, uma antiga tradição diz que, em 1692, Antonio da Veiga, seu filho João da Veiga e Manuel Garcia partiram de Taubaté rumo ao sertão para captura de silvícolas. Empolgados por informações referentes à existência de ouro além da Serra da Mantiqueira, penetraram pelo Rio Verde e deram a um tributário deste, o nome de Baependi. Depois, atraídos pela noticia da descoberta de ouro naquelas paragens, outros colonizadores começaram uma pequena povoação, a que denominaram Baependi. Sabe-se que entre os primeiros povoadores estão Tomé Rodrigues Nogueira do Ó e sua esposa Maria Leme do Prado. Tomé construiu uma casa no local denominado “Engenho” e ergueu uma capela sob a invocação de Nossa Senhora do Montserrat e, é por isso considerado o fundador da cidade.

Dos seus primeiros habitantes, até chegar a virar cidade

No século XVII, entre 1691 e 1692, época da fundação de Baependi até o registro de seus primeiros habitantes, muito pouco se conhece. Os sertanistas e exploradores que passavam pela região permaneciam por pouco tempo, deixando apenas pequenas roças de culturas temporárias. Oficialmente os primeiros moradores de Baependi foram os sesmeiros, agraciados, por sua Majestade o Rei de Portugal com vasta extensão de terras, com prazo pré-determinado para a formação de culturas nas terras recebidas. Tomé Rodrigues Nogueira do Ó é considerado fundador de Baependi, sendo um dos primeiros moradores dessa localidade. Natural de Funchal, Ilha da Madeira, filho do fidalgo português Antonio Nogueira e Francisca Fernandes do Vale. Com seu falecimento em I741, suas terras foram divididas em glebas entre seus filhos. No engenho, junto à casa-grande estava edificada a Capela de Nossa Senhora de Montserrat, uma construção rústica, feita de taipas e paliça, onde se encontrava a imagem da santa de devoção da família. Maria Nogueira do Prado, uma das filhas de Tomé Rodrigues, e seu marido João Gomes Lemos fizeram doação do terreno da Freguesia de Santa Maria de Baependy, onde foi edificada a Matriz de Nossa Senhora do Montserrat. A denominação freguesia, do ponto de vista eclesiástico, significava povoamento, e Baependi já era paróquia desde 1723. Em I 814 o arraial foi elevado à categoria de vila, com denominação de Santa Maria de Baependy, território desmembrado do termo da Vila de Campanha da Princesa (mais tarde Campanha). Em 1855 foi criada a Comarca de Baependi, da qual também faziam parte Aiuruoca e Cristina.

A emancipação político-administrativa aconteceu em 2 de maio de 1856, quando Baependi foi elevada à categoria de cidade.

Hoje em dia, sua população está entorno de 19.000 habitantes e sua economia é baseada na agricultura, artesanato de palha, comércio de pedras e no turismo.

Fonte / Autora: Maria José Turri Nicoliello

Baependi é uma das poucas cidades de nossa região que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares.

A religiosidade ocupa lugar de destaque como um dos fatores que mais atraem os visitantes, uma vez que Baependi foi o lugar onde a serva de Deus, Nhá Chica, concedeu suas graças, hoje em dia inúmeras romarias de diversas partes do país têm como destino o Santuário de Nhá Chica, onde também se encontram seus restos mortais.

ACONTECE EM BAEPENDI – MG

Baependi – MG – Carnaval 2018

Baependi está animada para o Carnaval 2018 com diversas atrações para todos os foliões.

As ruas estão sendo enfeitadas para receber os munícipes e turistas que já estão chegando na cidade para a folia.

O Carnaval terá início nesta sexta-feira com a Micareta Sertaneja e término apenas na terça-feira com a Banda Só Zueira.

O destaque fica por conta do Banho da Espuma e o Banho da Mocreia que irão acontecer na segunda-feira.

Domingo a banda Maria Bunita chega com um repertório repleto de novidades para fazer o público tirar os pés do chão.

O intérprete Juninho Ferreira estará no palco agitando os foliões com marchinhas no Carnaval da Saudade.

Confira agora a programação completa do Carnaval 2018 em Baependi

 

Cadastre seu estabelecimento de Campanha - MG

9 + 10 =

Cadastre seu estabelecimento de Baependi - MG

4 + 3 =

+ CIDADES DO CIRCUITO DAS ÁGUAS

_____

Conheça os demais municípios integrantes do Circuito das Águas