Cruzília é o Berço dos Cavalos Mangalarga e Mangalarga Marchador. Vencedores de vários prêmios nacionais conta com o melhor plantel de cavalos da Raça Managalarga do Brasil. Atualmente conta com um Museu Nacional dedicado à Raça que mais cresce no Brasil. Na pecuária se destaca pela produção leiteira e de insumos agrícolas como o milho e o feijão.

A indústria moveleira merece destaque por sua capacidade na produção de móveis sob medida para todo o Brasil , abastecendo principalmente Rio de Janeiro e São Paulo. Os artesãos produzem verdadeiras obras primas, como é o caso da cadeira e altar em madeira usados por sua santidade o Papa Bento XVI na sua ultima visita ao Brasil.

No município destaca-se as Fazendas Centenárias, que são uma boa opção para a família curtir férias mais perto da natureza e ar fresco, longe dos grandes centros, além de serem pontos túristicos carregados de histórias e cultura local. A produção leiteira permite também a fabricação de queijos de ótima qualidade e vencedores de prêmios nacionais.

Na cidade existe o centenário Colégio São Sebastião,que mantém sua estrutura até hoje,onde boa parte de sua população cursou o ensino Básico e Médio. Os pontos mais badalados na noite de Cruzília são os bares e botecos, que são uma boa pedida para quem curte jogar uma conversa fora e apreciar uma boa pinga ou uma cervejinha ao lado dos amigos.

Em relação ao esporte, Cruzília oferece o Complexo Humano da Ventania,O Sete de Setembro Futebol Clube,clube histórico no futebol regional, ganhador de 5 ligas regionais, entre outros clubes como o Ypiranga e o Clube Campestre Ypê. As festividades ficam por conta da Festa do Peão, no mês de Julho, e do Festival de Música.

Para quem gosta de estender a noite, existe a “Danceteria Sedy(detentora do título de “a mais antiga em funcionamento do Sul de Minas) e Danceteria Fly (com dois ambientes e ótimo serviço de bar)” e os ótimos forrós da cidade (uma ótima pedida para você dançar juntinho).
Fonte: Wikipedia.com

PARA MAIS INFORMAÇÕES ACESSE: http://www.cruzilia.mg.gov.br/

 

História da Cidade de Cruzília

Cruzília – “terra da Cruz”. O primitivo nome da localidade foi encruzilhada. Originou este nome o fato de o povoado localizar-se ao lado da encruzilhada formada por duas importantes estradas no periódo colonial, que ligavam os municípios de São João Del Rei e Aiuruoca e Rio de Janeiro à região aurífera de Minas Gerais.

Cruzília é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. De acordo com o censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010, sua população é de 14.529 habitantes.

Localizada no Sul de Minas, Cruzília pertence ao Caminho Velho da Estrada Real. É conhecida por suas fazendas centenárias, por ser o berço dos cavalos da raça Mangalarga Marchador e sua indústria de móveis e queijos.

Dados Históricos

Os primeiros habitantes da região foram os faiscadores de ouro vindos provavelmente da província de São Paulo, e que exploraram o ouro de aluvião encontrado nas encosta de morros nas margens de córregos da zona. Ainda hoje, constituem testemunhas da presença daqueles desbravadores várias escavações existentes nas margens de córregos do território municipal. Só após a fase de mineração de ouro, chegaram os primeiros agricultores e senhores de escravos.

Segundo a tradição, em 1858 estabeleceu-se no sopé de uma colina denominada “serrinha” aquele que iniciou o povoado. Trata-se do Capitão Manoel Domingues Maciel, progenitor do Cel. Cornélio Pereira Maciel (prefeito de Cruzília de 1956 até 1959).

Em 15 de agosto de 1862, foi consagrada a primeira capela que recebeu como orago São Sebastião. Em 1873, foi construída a paróquia, sendo seu primeiro vigário o Revmo. Monsenhor João Câncio dos Reis Meirelles.

Em 1920, por influência do Cel. Cornélio Maciel, então vereador à câmara municipal de Baependi, foi instalada no distrito uma pequena usina hidrelétrica para o serviço de iluminação pública e domiciliar, serviço esse hoje bastante reforçado por outra usina.

ACONTECE EM CRUZÍLIA- MG

Museu Nacional do Cavalo Mangalarga – Cruzília

O Museu Nacional do Cavalo Mangalarga é um ponto de partida para roteiros e descobertas sobre esta raça  genuinamente brasileira.

No desbravamento do Brasil Colonial, na consolidação das fazendas e cidades do interior de Minas Gerias, São Paulo e Rio de Janeiro, foram forjadas as qualidades do cavalo Mangalarga Marchador, que teve expressiva influência na historia brasileira ao participar de todos os seus ciclos econômicos, seja como meio de transporte ou tração, moeda de troca ou mercadoria.

O percusro museológico apresenta, por meio de acervo, vídeos e texto, o desenvolvimento da raça no Brasil. Suas especificidades e diferencias, a lida cotidiana e outros aspectos estão retratados na exposição de longa duração, que revela a importância do cavalo e da região onde surgiu esta raça que se espalhou e cativou apaixonados em todo mundo.

O Museu é uma realização da Fundação Barão de Alfenas, fundada em 2006 para tornar realidade um sonho compartilhado entre os criadores da raça, e da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador, em parceria com o Instituto Cultural Flávio Gutierrez.

Conheça a história do cavalo Mangalarga Marchador e saiba mais sobre sua importância para a nossa economia, cultura e desenvolvimento social.

Localizada na Praça da Matriz, no centro da cidade de Cruzília, Sul de Minas Gerias, a casa que pertenceu à Fazenda Bela Cuz, uma das fazendas pilares da raça, abriga uma sintese desta história.

Aberto de terça a domingo, das 10h às 17 horas.

Entrada: contribuição voluntária

Informações (35) 3346-1022

Cadastre seu estabelecimento de Cruzília - MG

13 + 10 =

+ CIDADES DO CIRCUITO DAS ÁGUAS

_____

Conheça os demais municípios integrantes do Circuito das Águas